quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Listas: As melhores cenas de 2009

Pra finalizar o ano de 2009 nada como listas as melhores cenas das telenovelas brasileiras. Separei 8 cenas, das 4 novelas que realmente mereceram citação por seus trabalhos ao longo do ano. Vamos ver se vc´s concordam comigo:

8 - Cama de Gato



A cena em questão está no começo deste vídeo. Rose (Camila Pitanga) acende uma vela e reza para "São Chiquinho" proteger o grande amor de sua vida, Gustavo (Marcos Palmeira) que acabara de ser preso. Com um texto simples, rápido, Camila Pitanga rouba a cena com uma interpretação profunda. Linda.

7 - Caras e Bocas



Nesta cena é mais uma típica muvuca que vemos. Walcyr Carrasco, autor da novela, é especialista nas principais muvucas da teledramaturgia do Brasil. Todos os núcleos e praticamente todos os personagens da novela vão a um "ferro velho" de carros procurar as jóias de Dafne (Flávia Alessandra) que estão escondidas em um pneu. Confusão pura.

6 - Cama de Gato



Uma das cenas mais esperadas da novela. O dia em que Verônica (Paola Oliveira) fica frente a frente com Gustavo (Marcos Palmeira). Numa atuação impecável de todos os envolvidos e um texto primoroso que vale a pena ser visto.

5 - Caras e Bocas



Depois de tanta enrolação e mentira, finalmente chega o dia da exposição de Denis (Marcos Pasquim) e Bianca (Isabelle Drumond) desmascara o pintor revelando a todos que na verdade quem pinta os quadros é o macaco Xico. Mais uma muvuca, pra variar.

4 - Poder Paralelo



Um jantar tenso. Uma cena recente, nesta semana. Bruno (Marcelo Serrado) arma tudo e consegue prender Tony (Gabriel Braga Nunes) e Fernanda (Paloma Duarte) no banker. E assim, arma um jantar entre ambos, ele próprio e Lígia (Miriam Freeland). Os quatro, uma cena tensa, com ótimo texto e um show de interpretação.

3 - A Favorita



Depois de muito sacrifício, Donatella (Cláudia Raia) consegue fazer seu plano funcionar. Num teatro abandonado, enganando, ela faz Flora (Patrícia Pilar) confessar todos os seus crimes para um grande público. Interpretação impecável de Patrícia e Cláudia numa das melhores cenas da novela.

2 - Poder Paralelo



Foi difícil colocar esta cena em 2º lugar. A cena, pra quem vê, pode parecer simples. Mas o banho de interpretação de Paloma Duarte é impressionante. Fernanda entra na casa de Bruno (Marcelo Serrado) e implora que o ex-marido solte Tony (Gabriel Braga Nunes) que é mantido como refém. Em seguida, ela se tranca e chora copiosamente.

1 - A Favorita



A melhor cena de 2009, pra mim empatada com o 2º lugar. No último capítulo de A Favorita. Flora (Patrícia Pilar) atira em Zé Bob (Carmo Della Vechia) e tortura Donatella (Cláudia Raia). Chegam Lara (Mariana Ximenez), Dona Irene (Glória Menezes) e Silveirinha (Ary Fontoura) e começa a seqüência mais impressionante e cheia de frases sensacionais. Vale a pena relembrar.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Listas: Os Destaques da TV em 2009

Seguindo com as listas de fim de ano, hoje é dia do "TVxTV" eleger quais foram os 10 principais Destaques do ano na TV Aberta do Brasil. Programas não serão considerados, apenas pessoas. Vamos a lista:

10 - Tiago Leifert



Ele é o principal responsável pela nova - e divertida - forma de se fazer jornalismo esportivo no Brasil. Mais do que mostrar um jeito irreverente de se apresentar um jornal esportivo, Tiago Leifert é responsável por fazer isso na Rede Globo, conhecida pelo método congelado de se fazer jornalismo. Sem dúvida alguma ele foi um dos grandes destaques do ano.

9 - Paloma Duarte



A melhor atriz de 2009. O melhor papel de sua carreira. Na melhor novela da Record. Como não colocar Paloma Duarte como destaque do ano com toda essa seqüência? Sua atuação dando vida a excelente Fernanda Lyra, faz com que ela seja lembrada por muito tempo pelos fãs. Em dramaturgia, ela foi um destaque e tanto.

8 - Daniela Beyruti



A única da lista que não está na frente da câmeras, nem atrás. Ela fica atrás duma mesa executiva, mas é responsável por toda a mudança no SBT. Daniela Beyruti, filha de Sílvio Santos, é a diretora geral da emissora do pai e fez mudanças drásticas na programação, colocando o SBT novamente na briga pela vice-liderança.

7 - Carlinhos - Mendigo



Se houve um destaque em A Fazenda, da Rede Record, este destaque foi um só. Carlinhos, o popular humorista conhecido como Mendigo roubou todas as atenções do público por causa de sua personalidade, sua história de vida, seu compromisso com a verdade. Ele foi o maior destaque do Reality e merece figurar na lista.

6 - Felipe Camargo



Se a melhor atriz do ano merece estar na lista, é evidente que o melhor ator também. Felipe Camargo teve sua volta triunfal na TV encarnando Dante, o protagonista de Som e Fúria e fazendo isso com maestria, colocando esta atuação na galeria dos grandes trabalhos da TV brasileira. Por isso, ele foi um dos destaques de 2009.

5 - Celso Portiolli



Enquanto Record e SBT brigavam em sua programação dominical, com a Record roubando Gugu Liberato e o SBT roubando Eliana, o grande destaque dominical de 2009, sem dúvida, foi Celso Portiolli. Ele aproveitou a chance que a emissora o deu com a saída de Gugu, assumiu o Domingo Legal com autoridade e já é dono do seu horário.

4 - Rodrigo Faro



Uma grata surpresa. Em 2009 Rodrigo Faro deu mostras que a Record acertou em apostar nele para substituir Márcio Garcia. O ator - e agora apresentador - ganhou personalidade no comando de O Melhor do Brasil e também de Ídolos, mostrou competência e muita empatia com o público.

3 - Zina



É impossível fazer uma lista de destaques e esquecer-se de Zina. Dono da célebre frase que virou hit: "Ronaldo!" Zina viu sua vida mudar do dia para noite e se tornou parte da equipe do Pânico na TV. Suas aparições no humorísticos fazem o ibope disparar o que mostra o quanto é querido pelo público.

2 - Isabelle Drummond



A garota que conquistou o Brasil com sua personagem, sem dúvida, deveria aparecer nesta lista. Isabelle Drummond já se destacava quando interpretava Emília no Sítio do Pica Pau Amarelo, mas em Caras e Bocas a atriz deu um show de atuação e já figura como destaque da dramaturgia 2009 na Rede Globo. Definitivamente ela não "é a treva".

1 - Maísa



É inegável que ela é o maior destaque de 2009. A pequena Maísa ganhou o coração dos brasileiros com seu programa no SBT e também por suas participações no Programa Sílvio Santos. A dupla era sinônimo de diversão e não foram poucas as vezes que Maísa deixou o maior comunicador do país sem respostas. O maior destaque de 2009 e com merecimento.

domingo, 27 de dezembro de 2009

Listas: As melhores Frases de 2009

Continuando as listas de melhores de 2009, hoje o "TVxTV" elege as 10 melhores frases do ano de 2009 na TV brasileira. Foram muitas - muitas mesmo - as frases ditas em novelas, em séries, minisséries e que acabaram virando bordão. Vamos a elas:

10 - Verde/Vermelho pra você



Todos achavam que o que ia pegar mesmo era a mais nova edição de Ídolos, na Rede Record. Mas o bordão que mais chamou a atenção neste tipo de Reality musical foi o "Verde ou Vermelho pra você" do ótimo programa "Qual é o Seu Talento?", do SBT. Os 04 jurados sabiam dar o tom de suspense correto antes de mostrar se davam verde ou vermelho para cada candidato. O bordão acabou pegando num dos programas de maior audiência do SBT Show.

9 - Venha que eu tô virada no cão



Esta é só uma das muitas frases que viraram bordão na novela Caras e Bocas, da Rede Globo. "Venha que eu tô virada no cão" se tornou muito popular graças ao jeito extrovertido, nordestino e muito clichê dito pela personagem Ivonete, uma das mais carismáticas da novela. Muitas pessoas repetem esse bordão nos quatro cantos do Brasil e quando a personagem diz, é risada na certa.

8 - Ah ta!



Para os fãs de A Fazenda, da Rede Record, é impossível se esquecer da frase "Ah ta!" protagonizada principalmente por Daniele Souza, a Mulher Samambaia, mas que acabou sendo um bordão de todos os participantes quando algum outro contava alguma história "meio forçada". Foram vários os momentos em que alguém explodia com o famoso "Ah tá", fazendo todos rirem.

7 - Eu tô Rosa Chiclete



Outra frase de Caras e Bocas. A novela da Rede Globo virou fenômeno não apenas em audiência, mas também em criar bordões. "Eu tô Rosa Chiclete" é talvez uma das frases menos repetida entre o público, mas mais divertida. O personagem Cássio, homossexual que acaba se envolvendo com uma mulher - mais velha - vive repetindo este bordão sempre que alguém ou alguma situação o surpreende. Virou bordão.

6 - Onde estão as lamparinas do seu juizo?



Caminho das Índias não foi lá essas coisas como novela, mas algo que ela conseguiu foi criar bordões. A novela da Rede Globo criou frases supostamente repetidas pelos indianos que entrou para o dia-a-dia do público brasileiro. "Onde estão as lamparinas do seu juízo" é uma delas e foi muito repetida, em alguns momento se tornou até enjoativa, não na novela, mas no cotidiano.

5 - Por Deus, nosso Senhor Jesus Cristo, amém



Essa é talvez a única frase que não tenha sido repetida com cunho de humor. Mas virou bordão. Na novela Paraíso, também da Rede Globo, a personagem Mariana repetia essa frase sempre que podia, fazendo questão de enfatizar sua fé "por Deus, nosso Senhor Jesus Cristo, amém", fazendo disso seu principal - e sem dúvida também divertido - bordão.

4 - Aiaiai uiui



Talvez essa frase seja a única não criada em 2009. Mas o famoso "Aiaiai uiui" de Sílvio Santos foi imortalizado em 2009. Não apenas no SBT se ouvia isso, mas músicas foram criadas, no Brasil todo as pessoas repetiam a famosa frase que se tornou mais um dos muitos bordões criados pelo mestre da TV brasileira.

3 - Ronaldo!



Quando se pensa que o Pânico já criou tudo, surge o Zina. Ninguém sabe ao certo como aconteceu, mas durante uma reportagem do Programa Pânico na TV, da Rede TV, falando sobre a contratação fenomenoal do Corinthians, eis que um fã é entrevistado e solta a célebra frase. "Ronaldo!". O bordão virou hit e passou a ser sinônimo de qualquer resposta, qualquer pergunta, enfim, "Ronaldo!" entrou para a história como a frase mais repetida do ano, sem dúvida.

2 - Are Baba



Outro bordão da novela Caminho das Índias. "Are Baba" foi a frase que mais marcou na novela toda. Repetida a exaustão pelos personagens indianos, fez tanto sucesso que até personagens brasileiros passaram a repetir - em tom de zoação. Mas mais do que isso, o bordão ganhou forma pelo Brasil todo e foi repetido muito. Ainda hoje, meses após o fim da novela, muita gente ainda usa o termo.

1 - É a Treva




Sem dúvida a melhor frase de 2009. Bianca, personagem da novela Caras e Bocas da Rede Globo imortalizou a forma e o bordão para definir uma murmuração quando algo ruim acontece. "É a treva!" foi sem dúvida o bordão mais criativo para novelas dos últimos anos e eu não tenho dúvida que mesmo depois do fim da novela, será repetido por muito - muito tempo.

Sopro de modernidade a caminho?


Tenho acompanhado com certo interesse as notícias relacionadas a próxima novela das 19h00 da Rede Globo, Tempos Modernos. Aliás, devo confessar que me enchia muito mais os olhos o primeiro título que surgiu para a imprensa – Bom Dia, Frankenstein. Mas mesmo com a mudança de título, regida por razões evidentemente mercadológicas, o folhetim de autoria de Bosco Brasil tem acenado como merecedora de um voto de confiança. Neste breve texto, vou tentar enumerar algumas das razões que me fazem pensar dessa forma.

Primeiramente, por ser a ocupante do horário que pessoalmente considero mais atrativo e é considerado por alguns como problemático, dados os problemas com audiência sofridos por algumas produções em temporadas anteriores. Em segundo lugar, por ser novela de um autor relativamente novato – pelo menos no que diz respeito a trabalhos solo na TV: até então, os trabalhos de Bosco Brasil se concentraram na colaboração em novelas da Globo [Anjo Mau, As Filhas da Mãe, Coração de Estudante] e na Record [Essas Mulheres e co-autoria em Bicho do Mato]. E revendo a lista de trabalhos do autor, chama a atenção justamente As Filhas da Mãe, novela que primou por uma linguagem ligeiramente diferenciada [como esquecer dos raps interligando as cenas?], sendo bastante incompreendida pelas grandes massas.

O que leva ao terceiro motivo pelo qual Tempos Modernos merece atenção.

Inovação no gênero telenovela é um investimento de risco. Pode dar muito certo, como foi com Vamp; ou pode dar completamente errado [o caso de As Filhas da Mãe e Bang Bang, por exemplo]. De toda forma, os tropeços não devem ser motivo para acomodação. Pelo contrário, deve-se buscar o equilíbrio entre a vanguarda e a tradição, para não acabar espantando todo mundo.

Assistindo ao clipe de lançamento do folhetim, pude notar que a história é leve o bastante para uma novela desta faixa; com doses de romance – destaque para os casais formados por Fernanda Vasconcellos e Thiago Martins [dejavú?] e Vivianne Pasmanter e Felipe Camargo; humor; ação e drama.

E finalmente, Tempos Modernos deve chamar atenção por ser uma espécie de teste para boa parte de seu elenco: conseguirá Priscila Fantin [citada na lista de piores atrizes brasileiras neste blog] fazer o público mudar de opinião com relação ao seu desempenho? Grazzi Massafera se sairá bem como vilã? Muitas pessoas em forums de discussão têm respondido previamente a segunda pergunta com um sonoríssimo NÃO, mas não custa nada dar uma chance a moça e conferir os primeiros capítulos.

Até porque, ao lado do grande ponto de interrogação que é o desempenho vilanesco de Massafera, o espectador terá agradáveis surpresas, como a volta de Vivianne Pasmanter às novelas, depois de Páginas da Vida e Alessandra Maestrini, depois de três anos de Toma Lá, Dá Cá, mostrando uma faceta até então desconhecida do grande público. Pelo pouco que pude conferir na prévia, tem tudo para ser um dos grandes destaques da produção. Ainda podemos conferir rostos relativamente novos na telinha, como Isabel Lobo [com participações em episódios de Sob Nova Direção, Cilada e Essa História Dava Um Filme]; Naruna Costa [participou da novela Dance, Dance, Dance], Joana Lerner [teve participações em Agora é Que São Elas e Senhora do Destino] e Luciana Borghi, entre outros, egressos de carreiras sólidas nos palcos.

Rostos novos, facetas novas, autor “novo”: será que essa combinação vai segurar os pontos que Caras e Bocas angariou para o horário, quiçá até elevar o ibope? Não sabemos. Mas não custa nada sintonizar na Globo no dia 11 de Janeiro de 2010 e assistir à estreia de Tempos Modernos. Eu estarei lá, e vocês?

*Por Evana Ribeiro

sábado, 26 de dezembro de 2009

Listas: Os Melhores Personagens de 2009

Seguindo a onda de jornais, sites, blogs, o "TVxTV" vai fazer até o último dia de 2009 várias listas com os melhores do ano. Evidente que essas listas se baseiam exclusivamente em minha opinião e você pode concordar ou discordar, sem problema algum, aproveite e faça sua lista nos comentários, vamos ver se concordarmos. Hoje começo com os melhores personagens de 2009 na TV brasileira. Vale ressaltar que a lista é dos personagens e não dos atores, portanto eu posso ter preferido um ator e atriz, mas escolhi outros personagens por considerá-los mais complexos.

10 - Renata - Viver a Vida



Renata é talvez a única personagem realmente humana de toda a novela Viver a Vida. Com problemas com o álcool e com a mania de querer sempre estar mais magra - a moça sofre de uma doença chamada drunkorexia - ela tem cenas quase sempre carregadas, com muita exigência dramática. Sofre de carência, insegurança, medos que parecem não ter fim e isso torna sua história muito interessante.

9 - Gustavo Brndão- Cama de Gato



Este é talvez o melhor personagem de Marcos Palmeiras na década. O protagonista de Cama de Gato é complexo, diferente de tudo que se viu. Começou a novela muito mais para antagonista, sendo duro, rude, um homem rico que fazia questão de pisar em todos que estavam abaixo sem medo ou piedade. Uma virada impressionante na história deixou Gustavo Brandão sem nada e ele passou a entender que a vida é muito mais que dinheiro e poder, uma mudança na personalidade do personagem que o tornou ainda mias profundo.

8 - Ricardo - Som e Fúria



Ricardo trouxe a pitada extra de diversão que Som e Fúria precisava. A série que contou com praticamente todos os personagens espetaculares teve neste uma peculiaridade. Os trejeitos, a gagueira, tudo fruto de uma insegurança doentia. A paixão do personagem pela arte, por musicais e sua insegurança tornaram-no fraco e fácil de manipular. Os tiques nervosos de Ricardo eram uma das coisas mais divertidas da série.

7 - Xico - Caras e Bocas



Falar de listas de personagens em 2009 e não colocar nesta lista o macaco Xico de Caras e Bocas seria uma grande insjutiça. O macaco quando foi anunciado fez com que todo o público temesse pela novela, mas assim que ele surgiu foi amor a primeira vista. Xico foi um dos grandes destaques de 2009, com muito humor, carga dramática e uma história pra lá de maluca ele conquistou o coração do público.

6 - Verônica - Cama de Gato



A vilã mais sórdida do horário das 6 em muitos anos. Essa definição é claramente para Verônica, antagonista de Cama de Gato. Uma mulher má, pérfida, mas dotada de uma inteligência inacreditável e que sabe usar esta inteligência para conseguir tudo o que quer. Além de tantas características que tornam qualquer personagem profundo, Verônica tem ainda uma pitada de humor ácido que a deixa ainda melhor.

5 - Fernanda Lyra - Poder Paralelo



A personagem interpretada com maestria por Paloma Duarte - melhor atriz de 2009 - Fernanda Lyra é uma atriz, a melhor do país na história, e uma mulher carente. Na trama se apaixona por vários homens, entre eles o vilão e o mocinho. É profunda, fica presa entre o amor e o crime, e faz tudo que está a seu alcance para acabar com o mar de sangue que toma conta da novela Poder Paralelo.

4 - Bianca - Caras e Bocas



Bianca assombrou a TV brasileira. Uma adolescente acima da média, incrivelmente inteligente, divertida, com resposta pronta para tudo e, acima de tudo, aprontando todas para defender aquilo que acredita. Essa personagem coloriu a novela Caras e Bocas e quase sempre deu o tom de todas as situações bizarras e divertidas do núcleo principal. Bianca foi sem dúvida um grande destaque do ano.

3 - Dante - Som e Fúria




Personagem profundo, cheio de complexos, ator frustrado de teatro, diretor de uma mísera companhia falida. Dante teve sua vida modificada ao assumir a Companhia de Teatro do Rio de Janeiro e, junto com essa obrigação, encontrou pessoas de seu passado, e reviu fantasmas de sua vida. O personagem que teve de enfrentar inimigos externos, mas principalmente internos, para conseguir realizar seu sonho e voltar a ter uma vida normal. O protagonista de Som e Fúria e deu um banho.

2 - Bruno Villar - Poder Paralelo



O famoso Guri de Poder Paralelo. Ser o personagem mais complexo e ao mesmo tempo o antagonista da principal novela de 2009 não é fácil. A interpretação de Marcelo Serrado ficou devendo em muitos momentos, mas é inegável que Bruno Villar é um dos personagens mais intrigantes e instigantes da história recente da TV Brasileira. Mafioso, implacável, doentio e furioso, Bruno Villar é um mito nacional dentro da história e por isso merece destaque.

1 - Cássio - Caras e Bocas



O personagem que mais criou frases entre todas as obras da TV em 2009. A maioria muito divertida e surpreendente. Cássio é o homossexual assumido que se apaixonou por uma mulher muito mais velha e, mesmo ficando com ela, não deixou seus treijeitos homossexuais, o que tornou a relação uma das coisas mais divertidas do ano. Frases como "Estou rosa chiclete", "Choquei", "Maria Purpurina" estão no imaginário popular graças ao melhor personagem de 2009: Cássio.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Dó ré mi Fábrica surpreende pela qualidade


O Especial de Fim de Ano da Rede Globo, Dó Ré Mi Fábrica, exibido na noite de quarta-feira, 23, deu mostras de como é possível realizar entretenimento infantil com qualidade, mesmo na TV aberta e sem grande tempo - ou graças a isso, depende do ponto de vista.

O programa protagonizado pelo ótimo Lázaro Ramos que deu vida a uma dupla nada convencional de irmãos gêmeos - o ator se superou em ambos os papéis, dando um show de atuação, com o devido afastamento entre os personagens e com a carga dramática e artística no ponto, exatamente como o texto pedia - teve uma dinâmica surpreendente para um programa infantil e, além de tudo chamou a atenção pelo competente roteiro que, na maioria das vezes, era muito profundo, até filosófico e sempre ao alcance da compreensão das crianças.

O musical - sim foi um musical - teve uma história redonda, muito bem contada e com agilidade, tudo que crianças dos tempos modernos exigem, mas sem fugir a magia infantil do Natal. Esta magia esteve presente o tempo todo, seja nas letras das músicas, na própria história, mas principalmente no modelo clássico, quase cult com que o roteiro foi se desenvolvendo. Roteiro inteligente para crianças inteligentes e sem frescuras, com interpretação simples, mas profunda.

A Rede Globo acertou em cheio ao apostar num especial deste porte, pois revela que a emissora também se preocupa em exibir programas de qualidades para as crianças e quem sabe seja uma boa aposta esse formato. Após o excepcional Hoje é Dia de Maria, que já faz tempo, convenhamos, novamente algo com o padrão Globo de qualidade voltado para o público infantil com Dó Ré Mi Fábrica.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

A Luz é Mara!


É, acabou. Três temporadas depois e chega ao fim uma das séries de humor mais divertidas que a Globo produziu nos últimos anos (exceção feita a Grande Família, que prima não apenas pelo humor, por isso não conta). Toma lá, dá cá deixa saudosos uma legião de fãs que acompanharam por três anos as mais malucas e engraçadas histórias da turma do Jambalaya Ocean Drive.

É bem verdade que a última temporada da série não vai propriamente deixar saudades. Num ano absolutamente infeliz em que a dupla de autores errou completamente a mão, Toma lá, dá, cá tornou-se um programa legal, mas sem pegada e que até os fãs - quem diria - passavam semanas sem assistir por simplesmente esquecer.

Mas o saldo da série? Positivo, absolutamente positivo. A contar pelo extraordinário episódio piloto exibido como Especial de Fim de Ano da Globo em 2005. Ali, mesmo com o elenco diferente do que viria a formar a série, já dava para perceber que a história tinha pegada e que traria muitas risadas. Não deu outra. Numa primeira temporada afinada, o elenco foi aprovado, a série caiu no gosto popular e foi elogiada vastamente por todos.

O segundo ano foi ainda melhor. A entrada de um personagem foi responsável por isso. Seu Ladir é talvez o melhor personagem cômico da TV brasileira nos últimos anos. Com uma interpretação impecável, Ítalo Rossi renovou Toma lá, dá cá e fez da segunda temporada, ainda melhor que a primeira. Ele realmente é mara!

Com a saída do personagem, na terceira temporada, a série perdeu fôlego e o público não mais se interessou. As histórias não eram mais tão engraçadas e o melhor foi realmente o fim, após um ano quase desastroso.

O episódio final foi digno da série, muito digno. Maluco do começo ao fim o episódio mostrou o destino dos personagens sendo escrito "ao vivo" por Mário Jorge (personagem de Miguel Fallabella, autor da série) e trouxe de volta, mesmo que apenas em off, com sua voz, seu Ladir, nosso personagem querido.

Toma lá, dá cá se foi da TV brasileira e sem dúvidas vai deixar saudades. Esperamos agora pelo filme que certamente terá um roteiro interessante e deve fazer rir milhões de pessoas. A série, teve um final divertido e, como disse Seu Ladir, foram todos para a luz, porque a luz, é MARA!

Erros de Fim de Ano


O SBT vem melhorando a cada dia. Em 2009 a emissora reagiu - principalmente no 2º semestre - organizou sua grade, fez grandes contratações, algumas apostas como as séries em horário nobre e, a maioria destas apostas deu certo. Tudo isso se deve, como praticamente todos já disseram, ao incrível sopro jovial e criativo de Daniela Beyrute, filha de Sílvio Santos e que assumiu a direção artística da emissora do pai.

Mas não pude deixar de notar alguns erros estratégicos neste mês de dezembro, talvez pela falta de experiência, ou por algum outro motivo, mas praticamente todos os programas do SBT vem sofrendo queda de audiência nessas últimas semanas e a culpa é da própria Rede.

Eliana sofreu sua primeira derrota para a Rede Record desde que estreou na nova Casa. A derrota era anunciada, pois o especial de Natal do programa, nada teve a ver com a Festa de Fim de Ano. Foi um amontoado com os melhores momentos do programa - que estreou há pouco tempo e nem tinha tantos momentos e, os que tinham, evidentemente estavam ávidos ainda na lembrança do telespectador.

O mesmo erro foi cometido pelo Esquadrão da Moda nesta terça-feira. O especial de Natal do programa foi extremamente sem graça, sem a pegada de um programa normal e, o que fez mais falta, sem o charme atrativo e a diversão que os apresentadores sempre provocam com o público.

A programação Especial de Fim de Ano do SBT ainda vai contar com um musical de Roberto Justus que não deve emplacar na audiência, assim como foi o Programa Sílvio Santos no último domingo e que teve baixos números no Ibope - além de ter sido muito chato.

Isso mostra que a emissora também precisa se preocupar com esses momentos. Uma Rede de TV que tenta buscar a vice-liderança deve pensar nisso. Oferecer a seus telespectadores uma programação de qualidade em momentos que exigem Especiais com datas específicas. O SBT deve pensar nisso para 2010.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Cinquentinha deixa boas lembranças


Terminou na última sexta-feira a minissérie da Rede Globo, Cinquentinha. Escrita por Aguinaldo Silva, o autor que normalmente gosta de falar de um jeito popularesco, criando personagens na maior parte das vezes pobres - tanto financeiramente como de espíritos - e que nos últimos anos vinha errando a mão com temas superficiais e histórias bizarras.

Mas não na minissérie. Cinquentinha foi um acerto da emissora, do autor, do elenco e deixa saudades para seus telespectadores. Certamente que não foi o melhor texto já escrito por Aguinaldo para a Rede Globo, como o próprio autor chegou a dizer em seu blog, mas foi infinitamente melhor que Duas Caras e Senhora do Destino.

O tom popularesco e as situações bizarras estavam todas lá. Mas a agilidade, os diálogos profundos e as discussões quase filosóficas foram o diferencial de Cinquentinha. Sem pudor, a história mostrou diversos personagens complexos, principalmente as protagonistas, em dúvida sobre a própria vida e enfrentando a crise da terceira idade com tremendo bom humor. As cenas realmente foram desprovidas de qualquer pudor. Cena de nudez, lesbianismo, homossexualidade, tudo estava lá. Mas nada exagerado, nada apelativo. O brasileiro tem a mania de achar que isso é apelação quando o produto é nacional. Quando é estrangeiro, como o filme Beleza Americana, merece o Oscar e é genial. Isso as vezes irrita.

O elenco estava muito afinado. As três protagonistas muito bem. Suzana Vieira que vinha errando em suas últimas atuações, acertou o tom e fez de sua personagem divertida, absolutamente profunda e saiu do comum e clichê. Marília Gabriela ainda é dura como atriz, mas melhorou muito nos últimos tempos. Neste trabalho ela assumiu a responsabilidade de ser a mais atrevida. Ficou nua, beijou um rapaz de uns 18 anos. Teve cenas de lesbianismo. E soube conduzir sua personagem de forma que não ficasse suja, promíscua, ao contrário, ali tudo fazia sentido. Mas o destaque é mesmo de Bete Lago, a melhor de todas na série. A atriz entrou após inúmeras atrizes recusaem o papel e deu um show de talento. As maluquices da personagem fizeram todo o sentido nas mãos de Bete Lago, a melhor do elenco.

É preciso ainda observar que no elenco, outros se destacaram. Maria Padilha estava bem como em absolutamente tudo o que faz. E Ângela Vieira estava sensacional como a lésbica que perseguia Marília Gabriela. Parabéns.

Aguinaldo Silva não sabe se Cinquentinha terá uma segunda temporada. Eu creio que sim. Mais do que crer, eu espero que sim. A TV brasileira precisa de produtos ousados, e que ousem com qualidade, com bom texto, com agilidade, boa atuação e boa direção. Cinquentinha teve isso tudo.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Avatar é bom. E apenas isso


Assisti nesta sexta-feira ao filme mais aguardado do ano e um dos mais aguardados dos últimos anos no mundo do Cinema. De James Cameron - criador de Titanic e O Exterminador do Futuro 2 - Avatar causou quase uma comoção entre os fãs de Cinema no mundo todo devido a todo o sigilo e a mega produção que envolvia o longa.

Como tudo que leva a assinatura de James Cameron, o que se viu nas telonas foi uma produção detalhada que, desde a primeira cena é possível notar que há um preparo e uma preocupação com cada pequeno detalhe, seja da cena em si, ou da própria produção cheia de efeitos especiais.

Quem esteve no Cinema teve a mesma sensação. Avatar tem a melhor produção visual da História do Cinema e isso não cabe sequer discussão. Planejada para ser exibida em 3D a qualidade das cenas é tamanha como nunca se viu antes, de fato o espectador tem a impressão de estar participando do filme como um personagem. A legenda, inclusive, foi tão bem pensada que não cansa a vista do telespectador e em nenhum momento incomoda, seja nas cenas tranqüilas ou nas cenas de ação que exigem agilidade e muitos efeitos especiais.

Os efeitos, inclusive, são o grande trunfo da obra. Cameron não economizou - literalmente, o filme teve orçamento recorde - para produzir uma história com efeitos especiais impossível de se imaginar. Na verdade, alguns desses efeitos são difíceis de acreditar mesmo para quem está dentro do cinema assistindo ao filme.

Para quem gosta de efeitos especiais de ficção científica e de imagem em 3D o filme é espetacular, mas quando alguém vai ao Cinema ou mesmo vê em casa, precisa de uma junção de várias coisas para considerar um filme espetacular e, algumas dessas coisas faltam a Avatar.

O roteiro do filme é interessante, mas repete inúmeras histórias já contadas anteriormente, além de todos - sem exceção - os personagens serem clichês e muito previsíveis, o que em determinados momentos irrita um pouco. A história é muito bem conduzida e percebe-se o traço de Cameron nos diálogos, sempre ágeis e cheios de significados, mas não foi desta vez que o cineasta conseguiu escrever um roteiro espetacular.

Outra observação - não chega a ser um problema - é o elenco. Cameron apostou em alguns rostos não muito conhecidos e ninguém consagrado e, ao que parece, a aposta não foi certeira como em Titanic. O elenco de Avatar é apenas razoável e nada além disso e, em algumas cenas, principalmente nas com diálogos mais profundos que exigiam sentimento, os atores ficaram devendo um pouco.

Enfim, Avatar vai sim ficar na História do Cinema como o mais inovador dos filmes até o ano de 2009, como a grande aposta em efeitos especiais e uma produção brilhante em 3D, mas não entra para a galeria dos grandes e clássicos filmes da História do Cinema. Numa análise geral, o filme não é nem o melhor do ano, perde para Bastardos Inglórios. Avatar é bom, nada mais do que isso. Bom.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Ídolos e Qual é o Seu Talento: A Final

Nesta quarta-feira, coincidentemente ou não, chegaram ao fim os dois realities shows, Ídolos pela Rede Record e Qual é o seu Talento? pelo SBT. Quem ganhou na verdade não importa muito, pois parece claro que este tipo de programa não determina sucesso posterior na vida dos vencedores, mas a título de informação Saulo Roston foi o vencedor do Ídolos e no Qual é o Seu Talento venceu o Grupo D-Efeitos.

O ponto fundamental que separa os dois programas não é propriamente o formato - já que eles são diferentes - mas a forma como ambos são tratados e a a criatividade das produções ao preparar as versões para o Brasil, pois os dois são originalmente programa de outros países - Ídolos é americano e Qual é o seu talento? é inglês.

A Record desde que comprou briga e conseguiu tirar do SBT o programa Ídolos não vem conseguindo realizar um bom trabalho, na verdade nem a emissora da Anhanguera conseguia. Quem assiste ao original American Idol, programa de maior audiência nos EUA, fica constrangido ao saber que Ídolos é a versão tupiniquim do mesmo programa. Falta cuidado na produção, falta preparo da equipe técnica, falta um corpo de jurados com maior química com a TV e com o telespectador e falta maior liberdade ao apresentador.

A versão brasileira de Ídolos é toda errada. A Rede Record tenta transformar o programa num acontecimento, mas erra ao produzí-lo no mesmo período que A Fazenda e, evidentemente abre mão de uma melhor divulgação - aliás, o programa que devia constar em toda a programação da casa é justamente Ídolos. E o pior, o horário. A final de ontem chegou ao absurdo de ficar até mais de 1h00 da manhã e, isso, num país como o Brasil em que a maior parte dos trabalhadores levanta às cinco da manhã, é inaceitável. Não adianta fazer uma mega produção e não pensar nos detalhes.

Qual é o seu talento? por sua vez criou uma versão brasileira de extremo bom gosto e muito divertido. O apresentador André Vasco é um achado e ficou muito solto durante toda a primeira temporada e, na final, estava especialmente inspirado. O corpo de jurados, já conhecidos do público - Cyz, Arnaldo, Miranda e Tomas - também foram um acerto. Toda a química que falta a equipe da Record sobra a esse quarteto. não tratou a final de seu programa como um acontecimento nacional como a Record tentou fazer com Ídolos, mas conseguiu em sua simplicidade, transformar o programa de um bom gosto impressionante, muito emocionante e com a pitada certa de suspense.

Ídolos chegou a 12 pontos de audiência concorrendo contra ninguém - concorreu com SBT Repórter e a maior parte do tempo contra Jornal da Globo e Programa do Jô - um resultado inexpressivo, pois somente assumiu a liderança depois de muito tempo no ar. Já Qual é o seu talento? não liderou, mas enfrentou o Jornal Nacional e Viver a Vida, as duas maiores audiências da Rede Globo ainda assim conseguiu dois dígitos, 10 pontos com picos de 15, e deixou a Record bem embaixo num horário muito melhor.

Na disputa entre os dois Realities, mesmo não tendo se enfrentado no mesmo horário, o único que leva pra casa um saldo positivo é Qual é o Seu Talento? que parece ter entretido muito mais o telespectador.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Novelas, Novelas e Novelas

Essa semana tem sido cheia para as telenovelas brasileiras e isso me faz ter uma vontade louca de comentar cada acontecimento, como não faz sentido eu criar um post pra cada cena que eu queira elogiar ou criticar, achei interessante juntar tudo que considerei importante e fazer num único post, vamos então aos tópicos:



1 - É impressionante como Cama de Gato nos surpreende em tudo. A atuação do elenco continua como uma grata surpresa, Marcos Palmeira e Camila Pitanga muito bem em seus papéis de protagonista, mas temos uma Paola Oliveira inspiradíssima como a vilã Verônica, creio eu que é o melhor trabalho da moça. Além disso, nessa semana a novela voltou a ter um ritmo alucinado, perder um capítulo já é impensável, mas quem perde um único trecho do capítulo já perde fatos importantes, eu realmente não sei como as autoras conseguem escrever uma novela das seis nesse ritmo maluco e sem barriga, parabéns a dupla de autoras. No capítulo de terça-fera, 15, Cama de Gato teve uma novidade que eu me esforcei, mas não lembro de já ter visto isso antes em outra novela, o capítulo terminou com dois ganchos, sim DOIS. Alcino vendo Verônica e Roberto aos beijos e Rose recebendo a visita da esposa do piloto que sequestrou Gustavo no começo da novela. Incrível e isso torna o capítulo de hoje imperdível. Aliás, parece que a novela vai sofrer uma reviravolta maluca nas semanas do Natal e Ano Novo, ansiedade é pouco para o que eu estou sentindo.

2 - Caras e Bocas está cada vez mais impagável. Walcyr Carrasco está inspirado como nunca nessa novela que faz o telespectador rir do começo ao fim de cada capítulo. Destaque para as atuações de Isabelle Drumond, sempre muito bem como Bianca, a melhor personagem cômica de 2009,
e também para todo o elenco que continua muito bem, inclusive o macaco Chico, sempre com cenas hilárias. O destaque da semana foi o retorno da "amada" Simone. Todos sentiam falta da personagem e de seu bordão divertido, ela voltou e já chegou dando show, nos fazendo rir com o nome de seu filho (Picasso). Espero que Walcyr mantenha o ritmo divertido até o fim da novela, agora em janeiro.

3 - Viver a Vida, ah Viver a Vida. Decididamente não dá pra assistir essa novela levando a sério. Os fãs do Maneco se gabam por gostar do autor com os "melhores diálogos do Brasil" e são obrigados a ver cenas com discussões que beiram o ridículo. O mau humor da Luciana já encheu, as frases de efeito do Marcos são irreais, as bobagens da Betina são imbecis, tudo naquela novela é muito chato. Exceção feita a excelente atuação de Bárbara Paz que acertou o tom como Renata e continua sendo disparada a melhor personagem da novela. Mas que venha Passione, e venha logo.

4 - Bela a Feia definitivamente foi um erro. A produção é tão bem feitinha que dá até pena de ver a novela neste buraco. Muito se deve a história que é absolutamente repitida até para o Brasil, ninguém aguenta mais ver a história da moça feia que vai passar por uma transformação e que se apaixona pelo galã.

E tem mais, o elenco não ajuda, tudo bem que existem grandes nomes que até estão bem, como Jonas Bloch, mas como um todo, os atores e atrizes não funcionam, são falsos demais e acabam deixando a novela cheio de diálogos mecânicos e superficiais. Pena.

5 - Poder Paralelo dá mostras de não ser apenas a melhor novela produzida pela nova fase da Record, mas caminha para ser uma das melhores novelas já exibidas no Brasil e - cá entre nós - isso é alguma coisa. O roteiro da novela beira a perfeição e a direção continua inspiradíssima nos surpreendendo sempre. A atuação do elenco segue irrepreensível, com alguns atores e atrizes da nova geração nos surpreendendo positivamente. Mas Poder Paralelo é de uma pessoa só, a melhor atriz de 2009 e um dos melhores trabalhos feitos nos últimos anos pertence a Paloma Duarte. A dubiedade de Fernanda Lyra se deve ao texto de Lauro Cézar, mas a realidade da personagem é totalmente responsabilidade de Paloma que sabe dar o tom correto a cada cena, a cada fala com uma entonação correta, expressão corporal, expressão de rosto, tudo em conjunto e muito bem feito. Paloma é a melhor atriz de 2009 e eu não me canso de repetir isso. E Poder Paralelo é a melhor novela.

6 - Vende-se um Véu de Noiva está acabando, né? Graças a Deus. Esperamos que o SBT comece a levar a sério de verdade seu trabalho de teledramaturgia porque essa novela foi mais uma das muitas piadas da emissora nos últimos anos. O roteiro é vergonhoso, cheio de frases e situações irreais e personagens bisonhos que não acrescentam nada e nada tem a dizer. As atuações seguem abaixo da crítica e a maioria do elenco é realmente muito fraca. A direção ainda é o pior da novela, tomadas mal feitas, tentativas de inovação que são fracassadas, fazem da fotografia e da arte final de cada cena uma sessão de horror. Esperemos que Uma Rosa com Amor não tenha isso.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Globo de Ouro: Os Indicados


Saiu nesta terça-feira, 14, os indicados a um dos maiores prêmios de Cinema e TV do Mundo. O Globo de Ouro. Nos últimos anos a premiação tem sido vista com menor glamour do que em anos anteriores, principalmente porque em categorias de Televisão os críticos parecem não enxergar outras séries senão as mesmas de todos anos. Em 2009 certamente a crítica será um pouco diferente e certamente mais pesada.

Em cinema o filme que lidera as indicações é o filme "Amor sem Escalas" que ainda não estreou no Brasil - sua estréia está prevista para 05 de fevereiro de 2010 - com seis indicações seguido do filme "Nine", sem nome em português e sem estréia prevista para o Brasil, que recebeu 05 indicações. Bastardos Inglórios, o meu filme preferido, vem em seguida com 04 indicações. Confira os indicados de Cinema e pequenos comentários:

Drama

"Avatar" - Filme que estréia neste fim de semana no Brasil, ansioso para ver
"Guerra ao Terror" - a crítica tem elogiado bastante o filme, que parece ser um dos favoritos.
"Bastardos Inglórios" - filme de Quentin Tarantino e eu já comentei aqui considerá-lo o melhor da década. É o meu favorito entre os que vi.
"Preciosa" - Acredito que foi o maior engano da academia entre os selecionados.
"Amor sem Escalas" - Pelo número de indicações e críticas lá fora, deve ser muito bom.

Musical ou comédia

"500 Dias com Ela" - A crítica vem elogiando bastante e parte com alguma força.
"Se Beber, Não Case!" - Filme realmente muito divertido, mas sem perfil para vitória
"Simplesmente Complicado" - Filme elogiado pela crítica, mas deve ser mero figurante
"Julie & Julia" - Este sim, o favorito disparado, um dos melhores filmes do ano.
"Nine" - A crítica americana elogiou bastante o filme.

Animação

"Tá Chovendo Hamburguer" - Animação interessante. E só.
"Coraline e o Mundo Secreto" - Bem elogiada não fez muito sucesso.
"O Fantástico Sr. Raposo" - Filme dos mais cansativos e que não chama a atenção.
"A Princesa e o Sapo" - Surpresa! Não achei que o Globo de Ouro lembrasse desse.
"Up - Altas Aventuras" - Sem dúvida a melhor animação em muitos anos.

Confesso que senti falta de A Era do Gelo 3D.

Filme estrangeiro

"Os Abraços Partidos" - Esse filme é muito bom e tem grande chance
"Das weisse Band - Eine deutsche Kindergeschichte" - Nunca ouvi falar.
"La Nana" - Nunca ouvi falar.
"Un Prophète" - Nunca ouvi falar.
"Baarìa" - Nunca ouvi falar.

Diretor

Kathryn Bigelow, por "Guerra ao Terror" - Filme elogiado, mas só.
James Cameron, por "Avatar" - Só o nome de James Cameron já o torna favorito.
Clint Eastwood, por "Invictus" - Esta parece ser a piada do ano nas indicações.
Jason Reitman, por "Amor sem Escalas" - Novamente o filme que promete entrar bem,
Quentin Tarantino, por "Bastardos Inglórios" - Tarantino em sua melhor perfomance, ao lado de Tempos de Violência, parece ser um forte concorrente.

Roteiro

"Distrito 9", de Neill Blomkamp e Terri Tatchell - Mero coadjuvante.
"Guerra ao Terror", de Mark Boal - Filme muito bom, roteiro forte, mas difícil levar.
"Bastardos Inglórios", de Quentin Tarantino - Também é favorito para vencer aqui.
"Simplesmente Complicado", de Nancy Meyers - Mero coadjuvante.
"Amor sem Escalas", de Jason Reitman e Sheldon Turner - Com tantas indicações, é provável que seja bom mesmo.

Música original

"Crazy Heart", "The Weary Kind"
"Everybody's Fine", "(I Want To) Come Home"
"Nine", "Cinema Italiano"
"Brothers", "Winter"
"Avatar", "I See You"

Trilha Sonora

"O Desinformante", de Marvin Hamlisch
"Up - Altas Aventuras", Michael Giacchino
"Onde Vivem os Monstros", Carter Burwell e Karen Orzolek
"Avatar", James Horner
"A Single Man", Abel Korzeniowski

Ator - drama

Jeff Bridges, por Crazy Heart - Uma atuação firme, é o que diz a crítica.
George Clooney, por "Amor Sem Escalas" - Duvido que ele possa fazer um bom trabalho.
Colin Firth, por "A Single Man" - O nome é bom, mas não vi o filme.
Morgan Freeman, por "Invictus" - Me parece o amplo favorito entre os indicados.
Tobey Maguire, por "Brothers" - Mero coadjuvante.

Atriz - drama

Emily Blunt, por "The Young Victoria" - A crítica considera ela forte candidata.
Sandra Bullock, por "The Blind Side" - Duvido que tenha qualquer chance.
Helen Mirren, por "The Last Station" - Muito elogiada, mas não deve vencer.
Carey Mulligan, por "Educação" - Muitos colocam ela como a favorita.
Gabourey 'Gabby' Sidibe, por "Preciosa" - Outra favorita, deve ficar entre ela e Carey.

Ator - comédia ou musical

Matt Damon, por "O Desinformante" - Impecável, tem grande chance de levar.
Daniel Day-Lewis, por "Nine" - Muitos elogios da crítica, mas deve ser coadjuvante
Robert Downey Jr., por "Sherlock Holmes" - Muito elogiado também.
Joseph Gordon-Levitt, por "500 Dias com Ela" - A crítica o tem colocado como favorito
Michael Stuhlbarg, por "Um Homem Sério" - Mero coadjuvante

Atriz - comédia ou musical

Sandra Bullock, por "A Proposta" - Mesmo com duas indicações, é difícil que vença
Marion Cotillard, por "Nine" - Boa atriz, mas não vence.
Julia Roberts, por "Duplicidade" - Uma de suas melhores atuações, é a favorita
Meryl Streep, por "Simplesmente Complicado" - A melhor atriz da História do Cinema, impecável neste filme.
Meryl Streep, por "Julie & Julia" - Mas é neste trabalho que ela tem chance de desbancar a favorita Júlia Roberts.

Ator coadjuvante

Christoph Waltz, por "Bastardos Inglórios" - Já venceu, nem precisa ter a premiação.
Matt Damon, por "Invictus" - Boa atuação, mas não tem chance.
Woody Harrelson, por "The Messenger" - Coadjuvante.
Christopher Plummer, por "Station" - Coadjuvante, literalmente.
Stanley Tucci, por "Bones" - Coadjuvante.

Atriz coadjuvante

Mo'Nique, por "Preciosa" - Recebendo muitos elogios, pode surpreender.
Penelope Cruz, por "Nine" - É a favorita da crítica até aqui
Vera Farmiga, por "Amor Sem Escalas" - Vem bem elogiada também
Anna Kendrick, por "Amor Sem Escalas" - A crítica não fez muitos comentários
Julianne Moore, por "A Single Man" - é o nome mais forte entre as candidatas, mas não li nada sobre este trabalho.

O que os críticos de plantão certamente irão reclamar é nas indicações para o prêmio de TV. A badaladíssima, porém fraca, muito fraca, Glee, recebeu o maior número de indicações, o que surpreende porque o Globo de Ouro não costuma olhar com bons olhos séries assim. Glee recebeu 04 indiccações. Confira os indicados para TV, em negrito o favorito e em itálico, quem eu estou torcendo, se eu sentir falta de alguém, vai abaixo.

Série - drama

Big Love
Dexter
House
Mad Men
True Blood

Senti falta de Lost, num dos melhores anos e de 24 Horas numa volta estupenda.

Série - musical ou comédia

Entourage
Glee
The Office
Modern Family
30 Rock

Senti falta de Greek, pra variar ignorado pelo Globo de Ouro.

Ator de série - musical ou comédia

Alec Baldwin, por 30 Rock
Steve Carell, por The Office
David Duchovny, por Californication
Thomas Jane, por Hung
Matthew Morrison, por Glee

Atriz de série - musical ou comédia

Toni Collette, por United States of Tara
Courteney Cox, por Cougar Town
Edie Falco, por Nurse Jackie
Tina Fey, por 30 Rock
Lea Michele, por Glee

Ator de série - drama

Simon Baker, por The Mentalist
Michael C. Hall, por Dexter
Jon Hamm, por Mad Men
Hugh Laurie, por House
Bill Paxton, por Big Love

Senti falta de Terry O'Quinn, por sua brilhante interpretação de John Locke em Lost.

Atriz de série - drama

Glenn Close, por Damages
January Jones, por Mad Men
Julianna Margulies, por The Good Wife
Anna Paquin, por True Blood
Kyra Sedgwick, por The Closer

Ator coadjuvante

Michael Emerson, por Lost
Neil Patrick Harris, por How I Met Your Mother
William Hurt, por Damages
John Lithgow, por Dexter
Jeremy Piven, por Entourage

Atriz coadjuvante

Rose Byrne, por Damages
Jane Adams, por Hung
Jane Lynch, por Glee
Janet McTeer, por Into the Storm
Chloë Sevigny, por Big Love

Minissérie ou telefilme

Georgia O'Keeffe
Grey Gardens
Into the Storm
Little Dorrit
Taking Chance

Ator de missérie ou telefime

Kevin Bacon, por Taking Chance
Kenneth Branagh, por Wallander
Brendan Gleeson, por Into the Storm
Jeremy Irons, por Georgia O'Keeffe
Chiwetel Ejiofor, por Endgame

Atriz de missérie ou telefime

Joan Allen, por Georgia O'Keeffe
Drew Barrymore, por Grey Gardens
Jessica Lange, por Grey Gardens
Anna Paquin, por The Courageous Heart of Irena Sendler
Sigourney Weaver, por Prayers for Bobby

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Lília Cabral é uma grife


Ontem o Domingão do Faustão esteve bom como há muito não se via. Uma das partes mais interessantes de todo o programa foi o Arquivo Confidencial, desta vez com a talentosa atriz Lília Cabral.

Faustão abriu para todo o público a vida desta atriz que tem feito muito sucesso nos últimos anos e conquistado uma legião de fãs pelo Brasil afora graças a sua capacidade de interpretação. Lília viu depoimentos de amigos, familiares, colegas de elenco e se emocionou ao ver sua família falando com tanto carinho de sua jornada.

Ela também teve momentos de muita emoção ao lembrar-se de seus pais e uma grata surpresa ao ver um lindo depoimento de sua tia italiana - sim o Domingão foi até a Itália para colher este depoimento tão importante - e evidentemente a atriz ficou completamente perdida tamanha as emoções.

A emoção de Lília Cabral é quase como um agradecimento do Brasil por ela nos emocionar tantas vezes diariamente em trabalhos diversos, personagens completamente diferentes, mas que sempre passam mesma verdade.

Durante a homenagem, Manoel Carlos, autor de Viver a Vida, fez questão de falar a Lília e de tudo que ele disse, a frase mais importante é simbólica e definiu muito bem a importância de Lília Cabral para a TV brasileira. Maneco disse que Lília é uma grife, trabalhar com ela é garantia de sucesso e ele tem razão.

Eu comecei a notar mais a fundo o trabalho da atriz em Páginas da Vida, uma novela muito fraca e abaixo das expectativas e que, mesmo assim, Lília Cabral arrasou no papel de Marta, a única personagem de toda a novela com sangue nas veias e que tinha verdades a passar ao público. Em A Favorita, fui completamente conquistado por ela que interpretou a sofredora Catarina e acertou o tom da intepretação sem tirar nem por. Agora, em Viver a Vida, Thereza segue como uma personagem que as vezes cansa, isso devido ao texto fraco de Maneco, mas Lília tem dado show em algumas cenas e recebido o merecido destaque.

Lília Cabral realmente é uma grife e o mais importante é que é uma grife de qualidade e que o Brasil sabe dar valor.

Este texto está disponível também no site Famosidades, o melhor site de notícias sobre o mundo das Celebridades.

sábado, 12 de dezembro de 2009

Espaço Cinema


Decidi que vou usar o espaço de sábado, em que normalmente não posto muito, para falar de Cinema. Não vou dar dicas de filmes antigos, para vocês locarem, nem vou fazer críticas de filmes. As críticas dos filmes saem conforme eu for assistindo e achar interessante fazer uma crítica neste espaço. Aos sábados vou indicar, claro que com uma pitada crítica, algum filme, lançamento do ano (dos últimos 12 meses, já que estamos mudando de ano em breve, ne?).

Hoje quero falar e indicar de olhos fechados o melhor filme da década. Bastardos Inglórios. O filme é impressionante do início ao fim, sem dar tempo para o espectador respirar ou pensar muito nas frases, pois uma nova cena já surpreende novamente a todo minuto.

De Quentin Tarantino, Bastardos Inglórios, mostra que é possível abordar a violência de forma inteligente, como arte e não apenas a violência como forma de obter melhores resultados de audiência ou maior público. Tarantino é o cineasta responsável por Kill Bill, filme de grande sucesso e também de Pulp Fiction (Tempos de Violência, no Brasil), este último uma obra de arte do cinema mundial.

Bastardos Inglórios, na verdade, salvou a década aos 44 do segundo tempo. Não encontramos outro filme neste novo milênio que seja comparado aos grandes sucessos do Cinema e, aparentemente, não encontraríamos mais. Bastardos veio para mostrar que ainda é possível fazer cinema não apenas com qualidade, mas com uma impressionante qualidade técnica, de roteiro, de fotografia e de interpretação.

Definitivamente quem perdeu a chance de ver o filme no cinema, deve correr e alugar ou comprar o DVD, pois sem dúvida vale a pena. A violência é pulsante, interessante e improvável e, em meio a tanta violência, ainda temos a oportunidade de nos deliciarmos com diálogos incríveis, tiradas brilhantes e humor negro que somente Tarantino é capaz de brindar seu público.

Em tempos que somos obrigados a aguentar filmes como O Código da Vinci ou mais recentemente Crepúsculo e Lua Nova, tantas porcarias do cinema americano, Bastardos Inglórios é a luz no fim do túnel.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

1º Troféu TVxTV - Voto do Júri


Chegou o momento de divulgar os vencedores do 1º Troféu TVxTV eleitos através do Júri escolhido pelo blog. Foram dez pessoas designadas a escolher apenas um entre os concorrentes nas diversas modalidades, houve um certo equilíbrio em algumas áreas, outras, nem tanto. Vamos aos resultados e a pequenos comentários:

Melhor Série ou Minissérie: Som e Fúria (Rede Globo)

A série veio para revolucionar a forma de se fazer televisão dentro do conceito serial. Inspirada numa série canadense, Som e Fúria vinha com a grife de Fernando Meireles que não decepcionou e fez o melhor trabalho de dramaturgia da TV brasileira em 2009.

Melhor Novela: Poder Paralelo (Rede Record)

Muito se diz que novelas são sempre mais do mesmo. Lauro Cézar Muniz parece obcecado em provar que isso não é verdade. Poder Paralelo inovou completamente o gênero de telenovelas no Brasil, de quebra vem tendo um roteiro espetacular, com diálogos que parecem presentes ao telespectador. Resultado? A melhor novela do ano.

Melhor ator: Felipe Camargo, por Dante em Som e Fúria (Rede Globo)

Felipe Camargo ficou muito tempo sumido da TV. Após surgir no fim da década de 80 como potencial novo galã, o ator se envolveu em drogas, teve um casamento conturbado com Vera Fisher e desapareceu de grandes trabalhos na televisão. Lembrado para protagonizar Som e Fúria, Felipe não decepcionou e fez a melhor composição masculina de um personagem em muito tempo. O melhor ator com todos os méritos.

Melhor Atriz: Paloma Duarte, por Fernanda Lyra em Poder Paralelo (Rede Record)

Uma atriz que sempre tinha pequenos papéis ou superficiais em novelas globais. Na Record teve a infelicidade de protagonizar uma novela sem pé nem cabeça como Cidadão Brasileiro. Em 2009 Paloma Duarte prova que é sim uma das melhores atrizes de sua geração, através de uma composição incrível da protagonista mais controversa das telenovelas brasileiras em muito tempo, Fernanda Lyra. Paloma é a atriz do ano.

Melhor Ator Coadjuvante: Bruno Gagliasso, por Tarso em Caminho das Índias (Rede Globo)

Bruno Gagliasso já fez bons trabalhos, mas nenhum parecido com Tarso Cadore. Numa novela ruim, seu personagem se destacou pelos conflitos e muito disso se deve a excepcional interpretação do ator que soube dar vida a um esquizofrênico sem cair no clichê. De fato ele foi o melhor coadjuvante de 2009.

Melhor Atriz Coadjuvante: Patrícia França, por Nina em Poder Paralelo (Rede Record)

Patrícia França tem uma carreira recheada de bons personagens. Ela sabe escolher os melhores personagens para interpretar e novamente acertou ao aceitar dar vida a Nina, a sofrida mulher de Poder Paralelo. Com uma história confusa, cheia de conflitos e altos e baixos, Nina é um dos destaques da novela também graças a Patrícia França que leva o prêmio com méritos.

Atriz Revelação: Larissa Maciel, por Maysa em Maysa (Rede Globo)

Larissa Maciel é o que se pode chamar de revelação. Com um rosto desconhecido do público, ela apareceu na TV vivendo a cantora Maysa na minissérie no começo de 2009 e ainda hoje, quase um ano depois ainda é lembrada por todos. Um furacão, essa é a melhor forma de definir sua atuação no papel, roubando a cena e sendo destaque absoluto.

Melhor Apresentador de Programa: Sílvio Santos (SBT)

Um ano em que teve de concorrer com mudança de horário, enfrentar seu pupilo Gugu Liberato, agora na emissora rival. Nada disso foi capaz de tirar o brilho do maior comunicador de todos os tempos no Brasil. Sílvio Santos parece ter resgatado suas forças sabe-se lá de onde e fez um programa excepcional em 2009 com muita inovação e quadros ótimos.

Melhor Apresentadora de Programa: Eliana (SBT)

Após anos na Rede Record, Eliana mudou, voltou para sua primeira casa e, no SBT, vem fazendo um trabalho grandioso. O seu programa aos domingos é sem dúvida a melhor opção do fim de semana e o melhor programa de auditório em muito tempo na tv aberta brasileira. Sem apelar, com quadros interessantes e sempre primando pela qualidade, Eliana merece o prêmio.

Melhor Programa de Humor: A Grande Família (Rede Globo)

Quantas temporadas. E nada tira o fôlego de A Grande Família. Já houve renovação no elenco, com novos personagens entrando, mas o foco principal da história é mantido, o elenco principal é mantido e incrivelmente a história não cansa, nunca. Com um roteiro espetacular e situações muito engraçadas, a série continua encantando o público brasileiro e leva o prêmio sem dificuldades.

Melhor Programa de Auditório: Eliana (SBT)

Tudo que se foi dito para a apresentadora receber o prêmio se encaixa perfeitamente ao Programa Eliana no SBT. Ninguém acredita que seria possível um apresentador arriscar abrir mão de baixarias e de apelações e se concentrar apenas em qualidade e entretenimento para fazer um programa. Eliana veio para provar que o público gosta sim desse formato e por isso não existe outro melhor para ser premiado no ano.

Melhor Telejornal: Jornal Nacional (Rede Globo)

Como eleger outro se este é o telejornal da família brasileira? E ainda mais num ano em que a produção decidiu ser o tempo - já tardio, até - de tirar o gesso do formato e tornar o Jornal Nacional mais próximo de seu telespectador. Apresentadores mais descontraídos, reportagens sérias, mas também com outros formatos, o Jornal dá provas de jornalismo com qualidade e competência.

Melhor Programa Jornalístico: Profissão Repórter (Rede Globo)

O Profissão Repórter é uma pérola da Tv brasileira, dessas que precisam ser cuidadas para não se perder nunca. Caco Barcelos e sua equipe souberam fazer um programa muito interessante mostrando os bastidores da notícia e chamar a atenção do telespectador para este formato. Além de nos presentear com ótimas coberturas.

Melhor Programa de Esportes: Globo Esporte (Rede Globo)

Eu não tenho dúvida alguma que muito deste prêmio se deve ao apresentador Tiago Leifert. Ele inovou a forma de se apresentar um programa na Rede Globo. O canal mais engessado do país, que não aceita descontração em seu telejornalismo, viu um rapaz apresentar o tradicional Globo Esporte da forma mais divertida e próxima de seu público, e o resultado? Um ótimo programa.

Melhor Apresentador de Jornal: Willian Bonner (Rede Globo)

Willian Bonner é o retrato do Jornal Nacional. Sua seriedade e a forma eficaz com que apresenta as notícias do Brasil e do mundo chamam a atenção do telespectador. Queira ou não, ele exerce fascínio sobre seu público, tanto quanto um animador e por isso é indiscutível o melhor naquilo que faz.

Melhor Apresentadora de Jornal: Fátima Bernardes (Rede Globo)

Ela nunca foi unanimidade, mas certamente 2009 foi um dos melhores anos da carreira de Fátima Bernardes. Quando a Globo desengessou o Jornal Nacional, Fátima ficou mais livre, solta e conseguiu encontrar um tom perfeito de apresentação das notícias. Hoje, pela sua entonação, já se sabe o tipo de notícia. Por isso merece o prêmio.

Melhor Quadro de TV: Os Opostos se Atraem, em Eliana (SBT)

Definitivamente foi o ano de Eliana. Além de se consolidar como uma força dos domingos, apresentadora madura e com um programa de qualidade. O quadro Os Opostos se Atraem foi certamente o maior achado no entretenimento brasileiro em 2009. Divertido, ágil e sem nenhuma apelação, o quadro caiu no gosto popular e dá ótimos resultados de audiência.

*******************************************

O grande vencedor dos DVD's Hilda Furacão e A Muralha foi Gustavo Alencar. Parabéns, o blog vai entrar em contato com você via e-mail para pedir detalhes de seu endereço. Obrigado a todos que participaram da votação e outras promoções assim virão.

A impressionante qualidade de Tropa de Elite


É importante se reconhecer quando há trabalhos positivos na TV brasileira, disso não há dúvida. Este fim de ano tem sido promissor em mostrar que a televisão brasileira aberta é capaz de produzir produtos de qualidade. Cama de Gato na Rede Globo e Poder Paralelo na Rede Record dão provas diárias de que é possível inovar as novelas e inovar com qualidade.

Cinquentinha, minissérie da Rede Globo também segue dando provas em seus três episódios, de que a inovação é necessária para manter a criatividade em alta. A minissérie apresenta um bom produto para o telespectador que está acostumado a programas medianos em todas as áreas - medianos para ser muito otimista.

Esses três produtos de teledramaturgia mostram um Brasil mais forte e capaz de melhorar a cada ano. Uns podem esnobar as telenovelas por considerarem uma sub-arte, outros podem achar o modelo muito parecido e tudo muito repetitivo, mas isso é um olhar superficial e de quem já faz uma pré análise sem boa vontade.

Mesmo assim, quando nos deparamos com um produto de dramaturgia como o exibido na noite de quinta-feira pela Rede Record, paramos e entendemos o motivo de alguns críticos torcerem o nariz para novelas e minisséries. Tropa de Elite dá uma lição de produção em tudo que há na TV brasileira atualmente.

O roteiro desse filme é impecável, com cada diálogo, cada texto muito bem trabalhado e tendo inúmeros significados e traçando uma variante quase infinita de possibilidades. A fotografia do filme - apesar de me incomodar por não ser adepto do modelo - também é elogiável, dentro daquilo que a direção de fotografia se propôs a fazer, o trabalho esteve muito bom. E as atuações mostram que filmes brasileiros podem sim ter excelentes profissionais trabalhando. O elenco está todo muito afinado, mas é impossível não fazer pela milésima vez menção a Wagner Moura. Como Capitão Nascimento, Moura eternizou sem dúvida, o mais complexo, emblemático, profundo e melhor interpretado personagem da história do Cinema nacional.

É evidente que não se pode comparar um filme que tem no máximo três horas de duração com uma novela que vai 8 meses. Mas o fato indiscutível, é que a qualidade de roteiro de Tropa de Elite é algo que está anos-luz dos roteiros da maior parte das telenovelas. Assistir Tropa de Elite, ver os diálogos excepcionais do filme e pensar que num mesmo país o produto mais assistido atualmente é Viver a Vida, dá até raiva.

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira